quarta-feira, 23 de maio de 2018

Faltam combustíveis em 40% dos postos na Paraíba, diz Sindipetro


Faltam combustíveis em 40% dos postos na Paraíba, diz Sindipetro
Cerca de 40% dos postos de combustível da Paraíba já estão com falta de gasolina, etanol ou diesel. O balanço é do presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado da Paraíba(Sindipetro-PB), Omar Hamad. A situação de desabastecimento ocorre por conta de uma manifestação de caminhoneiros em protesto contra o aumento no preço dos combustíveis executado pela Petrobras nos últimos dias.

Ao Portal Correio, Omar relatou que os postos que ainda possuem combustíveis estão com os produtos porque fizeram estoque na semana passada. Além disso, diversos postos já não estão colocando preço de um determinado produto por não tê-lo.

“Ainda não temos um valor exato, mas aproximadamente em 40% dos postos já está sem gasolina, etanol ou diesel. Onde não tiver placa de preço é porque não tem o produto”, disse o presidente do Sindipetro-PB.

Protesto interdita rodovias

Trechos das rodovias BR-101, em João Pessoa, BR-412, em Boa Vista, e BR-230, em Campina Grande, estão com interdições na tarde desta terça-feira (22) por conta de protestos dos caminhoneiros.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), em João Pessoa, o bloqueio atinge o quilômetro (km) 89 da BR-101, com interdição total da rodovia, incluindo uso de pneus para bloqueio de tráfego.

Em Boa Vista, no Agreste paraibano, a 175 quilômetros de João Pessoa, a interdição ocorrer no km 18 da BR-412. A interdição da rodovia é parcial.

Já no km 143 da BR-230, em Campina Grande, a interdição também ocorre de maneira parcial, apenas para veículos de carga.

Leia mais no Portal Correio

Protestos de caminhoneiros afetam entregas dos Correios e suspendem postagens de Sedex


Protestos de caminhoneiros afetam entregas dos Correios e suspendem postagens de Sedex
Em razão da paralisação dos caminhoneiros, os Correios suspenderam temporariamente as postagens das encomendas com dia e hora marcados (Sedex 10, 12 e Hoje). Em comunicado, a estatal informou ainda que a paralisação também tem gerado "forte impacto" e atrasos nas operações da empresa em todo o país.

"Tendo em vista comprometer a distribuição, também haverá o acréscimo de dias no prazo de entrega dos serviços Sedex e PAC [entrega não expressa], bem como das correspondências enquanto perdurarem os efeitos desta greve", destacou a empresa.

A operação dos Correios envolvem mais de 25 mil veículos, 1.500 linhas terrestres e 11 linhas aéreas que circulam pelo país de norte a sul. A empresa informa entregar mensalmente cerca de meio bilhão de objetos postais, dentre eles, 25 milhões de encomendas.

"Os Correios estão acompanhando os índices operacionais de qualidade de toda essa cadeia logística e, tão logo a situação do tráfego nas rodovias retorne à normalidade, a empresa reforçará os processos operacionais para minimizar os impactos à população", acrescentou o comunicado.

Caminhoneiros voltaram a bloquear rodovias pelo país nesta terça-feira, pelo 3º dia seguido contra o aumento no preço dos combustíveis. A Petrobras anunciou na véspera que a política de reajuste dos preços não mudará.

Já o governo anunciou que eliminará a Cide (tributo) que incide sobre o diesel quando o Congresso Nacional aprovar o projeto da reoneração da folha de pagamentos. Se o projeto de reoneração for aprovado, o Legislativo fará, na prática, com que haja aumento nas receitas da União, que, em troca, cortará o tributo incidente sobre o diesel.

De acordo com o Ministério da Fazenda, a alíquota atual da Cide sobre o diesel representa menos de R$ 0,05 por litro.

Termina nesta quarta-feira prazo para pagar taxa de inscrição do Enem


Termina nesta quarta-feira prazo para pagar taxa de inscrição do Enem

Os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm até hoje (23) para pagar a taxa de inscrição de R$ 82. O pagamento deve ser feito por meio da Guia de Recolhimento da União (GRU Cobrança), que é gerada ao fim da inscrição.

A guia pode ser paga em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios, respeitados os horários de compensação bancária.

A inscrição só será confirmada após o processamento do pagamento. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a inscrição cujo pagamento não tenha sido feito até esta quarta-feira não será confirmada. É responsabilidade exclusiva do participante acompanhar a situação de sua inscrição e a divulgação do local de prova no endereço http://enem.inep.gov.br/participante.

O prazo de inscrição terminou às 23h59 de sexta-feira (18). O último balanço divulgado pelo Inep foi na manhã desse dia, quando o número de inscritos tinha chegado a 6 milhões. No ano passado, 6,7 milhões de pessoas se inscreveram para participar do Enem.

Ao todo, 3.361.468 pessoas foram beneficiadas com a gratuidade por se enquadrarem em um dos quatro perfis que davam direito à isenção.

As provas do Enem serão aplicadas em dois domingos, nos dias 4 e 11 de novembro. Os resultados serão divulgados em janeiro.

Além de avaliar o desempenho dos estudantes de escolas públicas e particulares do ensino médio, o Enem é uma ferramenta que ajuda na seleção de candidatos a ingressar no ensino superior e a ter acesso a programas do governo federal como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), Programa Universidade para Todos (ProUni) e Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Leia mais no Portal Correi
o

Paralisação dos caminhoneiros chega ao terceiro dia com interdições na Paraíba


Paralisação dos caminhoneiros chega ao terceiro dia com interdições na Paraíba
Na manhã desta quarta-feira (23), a interdição dos caminhoneiros atingiu a cidade de João Pessoa, na BR-101. No trecho próximo das Três Lagoas, na altura do bairro de Oitizeiro, os dois sentidos das vias estão bloqueados com caminhões. Apenas carros de passeio estão sendo liberados. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um local foi liberado desde noite desta terça-feira (22) e todas as interdições são parciais.

De acordo com os caminhoneiros, a categoria reivindica, principalmente, a redução no preço do óleo diesel. Além disso, pedem o aumento no valor do frete, melhorias nas condições de trabalho e a extinção do pedágio nas rodovias estaduais.
Em Santa Teresinha, são quase dois quilômetros de caminhões parados (Foto: Felipe Valentim/TV Paraíba) Em Santa Teresinha, são quase dois quilômetros de caminhões parados (Foto: Felipe Valentim/TV Paraíba)

Em Santa Teresinha, são quase dois quilômetros de caminhões parados (Foto: Felipe Valentim/TV Paraíba)

Na BR-230, em Campina Grande, o bloqueio continua. São três pontos de interdição: na entrada de Campina Grande, próximo ao posto de Santa Teresinha, e dois pontos na saída de Campina Grande em direção ao Sertão, próximo a São José da Mata e Soledade.

Em Santa Teresinha, por volta das 7h, havia 2km de caminhões parados. No início da manhã desta quarta, um caminhoneiro colocou o veículo cruzando a rodovia e atrapalhou o fluxo de carros. A Polícia Militar esteve no local e liberou o trânsito para carros de passeios.

No Cariri paraibano, na BR-412, há dois pontos de interdição. Um no município de Boa Vista e outro no município de Monteiro.

Leia mais no G1

terça-feira, 22 de maio de 2018

Líder acusa João Azevêdo por problemas na Estação Ciência



Líder acusa João Azevêdo por problemas na Estação Ciência
O líder da Câmara de Vereadores de João Pessoa, Milanez Neto (PTB), divulgou, nesta segunda-feira (21), documentos oficiais que comprovam que o então secretário de Infraestrutura de João Pessoa, João Azevedo, tinha pleno conhecimento das graves falhas na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, detectadas e notificadas pela direção do órgão poucos meses depois da sua inauguração. “Se o ex-secretário que hoje só fala tivesse feito, a situação seria bem diferente. A Prefeitura está agora corrigindo os erros do passado”, disse.




Os documentos oficiais apresentados pelo parlamentar mostram que João Azevêdo recebeu diversos ofícios encaminhados pela Direção da Estação Cabo Branco na condição de secretário municipal. “As falhas são apontadas em vários equipamentos do prédio, como anfiteatro, auditórios, terraço e em praticamente todos os pavimentos da torre”, explicou Milanez Neto.




Segundo o vereador, a verdade é que seja por incompetência técnica, ou por má gestão, o secretário falhou duas vezes. “Primeiro por não fiscalizar cada etapa de uma obra realizada por sua secretaria. Depois, por receber o conjunto de falhas estruturais da direção do edifício e não tomar as devidas providências”, argumentou.



O vereador disse ter se espantado ao ouvir declarações de Azevêdo sobre um suposto abandono à Estação, na manhã desta segunda-feira (21). “É o discurso da velha política dissociado da prática, do façam o que eu digo, mas não façam o que eu faço”, disse. Milanez lembrou que a Estação recebeu, apenas nos últimos anos, quase 500 atrações, que reuniram cerca de 300 mil visitantes.




Novo momento – O parlamentar lembrou que a atual gestão está corrigindo as falhas estruturais na Estação, como acontece com a drenagem da Barreira da Cabo Branco, além da conclusão dos estudos para reparação de todos os pavimentos da Torre. “A Prefeitura vai manter a boa programação da Estação, consertar o que fizeram de errado, ou deixaram de fazer, e seguir entregando novas áreas de lazer à cidade, como já aconteceu com a Praça da Independência, o Pavilhão do Chá, o Parque da Lagoa e nas dezenas de praças e academias construídas ou reformadas”, disse.
MaisPB

Ação do TJPB pode fazer Governo adiar também entrega do Hospital de Cacimba de Dentro



Ação do TJPB pode fazer Governo adiar também entrega do Hospital de Cacimba de Dentro
O governador Ricardo Coutinho anunciou, nesta segunda-feira (21), durante o Programa Fala Governador, em rede estadual de rádio, que irá suspender as obras nas áreas de segurança hídrica e a abertura do Hospital de Cacimba de Dentro para poder repassar R$ 2 milhões a mais do duodécimo do Tribunal de Justiça da Paraíba, além da contratação dos 500 policiais que serão aprovados no concurso da Polícia Militar O repasse ocorre em cumprimento a uma liminar do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski – uma decisão monocrática do magistrado –, após ação judicial da Presidência do TJPB para repasse de 100% do orçamento do Poder Judiciário.




Ações na área de saúde serão comprometidas. “Eu anuncio ainda suspensão da abertura do Hospital de Cacimba de Dentro, que terá custeio de R$ 400 mil ao mês. Além disso, estou fazendo um esforço tremendo para não cortar as cirurgias cardíacas em adultos do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires”, declarou.

 O chefe do Executivo paraibano disse ainda que outras ações de governo poderão deixar de ser realizadas. “Eu também não poderei licitar uma obra essencial, que é a adutora da região 89, em Catolé do Rocha. Quando chegar a transposição do eixo Norte captaria água diretamente do rio Piranhas, estabelecendo segurança hídrica, beneficiando a população de Bom Sucesso, Mato Grosso, Jericó, Lagoa e Brejo dos Santos”, comentou.



Outra obra comprometida na área de segurança hídrica é a 3ª etapa do sistema adutor Nova Camará. “É uma obra que liga Arara, Solânea e a área alta de Bananeiras, contemplando ainda Casserengue”, acrescentou.



Ricardo Coutinho explicou que, de 2011 a 2017, a receita corrente líquida do Estado aumentou 34,89%, enquanto que o repasse do duodécimo do Poder Judiciário cresceu 79%. “Em nenhum momento, eu deixei de contribuir para que os poderes, particularmente o Poder Judiciário, tivessem as suas necessidades atendidas, os seus dilemas ultrapassados”, disse.

 “O Poder Judiciário faz 97% do orçamento programado. Para se ter ideia, o Poder Executivo, que eu represento, tem feito ao longo desses anos entre 79% e 81% do orçamento”, prosseguiu o governador Ricardo Coutinho, lembrando que a atual gestão do Tribunal de Justiça da Paraíba encontrou mais de R$ 36 milhões no Fundo Judiciário.



Ricardo ressaltou, ainda, que o Ministério Público da Paraíba chega a fazer 96% do orçamento, o Tribunal de Contas, 103%. “Sou o governador que quase eleva os Poderes a uma condição plena do orçamento”, completou.



O governador paraibano destacou que o Estado recorre da decisão do ministro Ricardo Levandowski sob pena de prejudicar a população. “Hoje, estou repassando um cumprimento que chega a quase R$  2 milhões, já com o encargo de ter de repassar o mês de abril”, afirmou, lamentando o fato de ter que anunciar a suspensão de ações importantes para a melhoria da qualidade de vida da população paraibana.

 Ainda no programa Fala Governador, Ricardo Coutinho observou que todos os poderes, e não só o Executivo, deveriam cortar gastos neste momento de profunda crise econômica do Brasil. “É que o governo vem fazendo ao longo desses anos todos um reforço gigantesco para manter os compromissos em dia e ainda assegurar uma margem de desenvolvimento desse estado, para suprir as carências do povo”, ressaltou.


Paraiba Já

Juíza determina redução de salário de senador que ganha mais que ministro


Juíza determina redução de salário de senador que ganha mais que ministro
A juíza federal Wanessa Figueiredo dos Santos Lima, da 2ª Vara da Justiça Federal na Paraíba, concedeu liminar, nesta segunda-feira (21), determinando que a União cumpra o teto remuneratório constitucional quanto ao pagamento do subsídio do senador Cássio Cunha Lima. Para isso, o Senado Federal deverá adicionar à pensão especial de ex-governador da Paraíba (no valor atual de R$ 23.500,82), recebida através do tesouro estadual, somente a diferença para alcançar o teto máximo, hoje de R$ 33.763,00.



A Justiça Federal acolheu o pedido de tutela antecipada na Ação Civil Pública n.º 0804256-24.2014.4.05.8200, de autoria do Ministério Público Federal, tendo em vista que a norma constitucional que estabelece o teto de remuneração dos agentes públicos estava sendo continuamente violada com a persistência do dano ao erário.



Para a juíza federal, a Constituição Federal “é bastante abrangente, incluindo todo e qualquer valor remuneratório percebido dos cofres públicos, ainda que se trate de benefícios recebidos de fontes diversas, como a Fazenda estadual e a federal”.



Assim, reconhecendo o extrapolamento do teto constitucional, a magistrada determinou que seja adicionado à pensão de ex-governador recebida do tesouro estadual o subsídio recebido pelo cargo eletivo de senador da República, até alcançar o teto máximo de R$ 33.763,00. “Como não podemos alterar o valor da pensão (verba estadual), diminuímos o valor a ser recebido por meio do subsídio (verba federal)”, declarou a juíza federal.



Da Redação Paraíba Debate com Parlamento PB

Faltam combustíveis em 40% dos postos na Paraíba, diz Sindipetro

LEITURA FOCADA Cerca de 40% dos postos de combustível da Paraíba já estão com falta de gasolina, etanol ou diesel. O balanço é do pre...